16 de dezembro de 2014

0

A arte efêmera e a vida

No início desse ano o meu professor de artes mandou a gente fazer um trabalho. Assunto? Arte efêmera. Basicamente teríamos que criar algum tipo de objeto que fosse parte desse tema.
Mas o que é arte efêmera? -Acho que nunca vou esquecer disso, afinal, já faz uns 8 meses que estudei e ainda ta na minha mente-
A arte efêmera se caracteriza principalmente por ser passageira, transitória e fugaz.
Eu lembro que o meu trabalho foi bem simples, eu peguei uma maçã e cortei um pedaço em formato de um coração. Mas talvez aquele trabalho tenha sido mais para mim do que para o professor.
Explicação do trabalho? Será que o tempo interfere tanto assim em nossos sentimentos ou em quem nós somos? A minha resposta pra essa pergunta se confirmou, o tempo não acaba com seus sentimentos, mas ele os modifica pouco a pouco. 
 Por várias vezes, em filmes e até na vida real eu ouvi dizer que o tempo faz você esquecer. Eu sempre levei isso como uma lenda urbana. Eu não acho que nós esqueçamos as coisas importantes. Eu me pego as vezes em uma fusão de pensamentos e me vem cenas a cabeça que eu nem lembrava que eu mesma lembrava, sabe como? Mas por alguma razão, elas estão ali.
Mas em resumo: A minha maçã foi apodrecendo aos poucos, mas o coração continuou nela, não tão perfeito e bonito como antes, mas presente da mesma forma. Então acho que eu tinha razão, o tempo pode ajudar a superar, mas as coisas realmente importantes, ficam pra sempre em nossas memórias e jamais caem no esquecimento. E o sentimento? Esse eu acho que nunca acaba, ele apenas se transforma. Por que se ele acabar, pra mim, nunca existiu de verdade.