6 de março de 2015

4

Comparações do amor

Essa sensação me pareceu um pouco familiar.
O frio na barriga na fila de espera vendo a expressão no rosto de todas as pessoas que sobreviveram.
A sensação da sua vez estar chegando, do tempo estar passando de pressa enquanto você
tenta disfarçar o nervoso brincando com outras coisas.
A vontade de tentar fugir quando não tem mais jeito.
O medo de ver que sua vez chegou e quando embarcar, sentir o vento no rosto acompanhado de uma pergunta:
será que eu também vou sobreviver?
E na descida, ganhar a melhor sensação da sua vida quando o frio na sua barriga aparece,
suas pernas ficam bambas, e a adrenalina vence todo seu corpo.
Quando você sabe que precisa abrir os olhos, mas também quer fechá-los e fazer durar para
sempre, quando do nada é virado de cabeça pra baixo.
E ao acabar, sentir o alívio de ter sobrevivido e ao mesmo tempo a tristeza de ter acabado.
A vontade de ir de novo, e sem poder ir, deixar apenas os melhores momentos na lembrança.
Voltando da escola essa comparação veio a minha cabeça,
de certa forma, o amor é mesmo uma montanha russa.